Arquivo de tag Colocação pronominal

porSegundo Villanueva

O que define a língua espanhola

Do meu ponto de vista a colocação pronominal.

Vamos compará-la com a língua portuguesa, que é bastante nominal.

Um exemplo: Eu derrubei o copo. Embora não tenha intenção de derrubá-lo, aparece o sujeito como a parte mais importante da frase.

Uma possível tradução em espanhol seria Se me cayó el vaso.

É interessante observar como a pessoa desaparece e joga a responsabilidade no azar, disfarçado em volta de pronomes átonos.

Esta é a principal peculiaridade da língua espanhola.

Neste sentido é bastante econômica ao evitar a construção típica de sujeito, verbo e predicado clássica colocando no seu lugar pronomes que encurtam a frase ou podem fazer com que o conteúdo informativo, a mensagem, seja mais clara ou objetiva.

Um aprendiz de espanhol deixará de ser aprendiz quando tenha interiorizado o uso de pronomes em todas as suas variantes. Nesse momento poderá se considerar já alguém que já fala espanhol, e não mais alguém que faz vínculos entre as duas línguas mais ou menos certas.

porSegundo Villanueva

As baratas nos ensinam pronomes

A correta utilização dos pronomes átonos diferencia o aprendiz de ELE daquele que realmente se incorporou a um estádio superior, maduro, seleto e consciente.

Você consegue descobrir quais os erros de pronominalização neste pequeno texto que coloco a continuação?

El libro se cayó y le recogí.  Había mucho polvo, tuve dificultades en entreverle en el suelo.  Pero al final lo localicé.  Había unas cucarachas muertas a su lado, con las patas hacia arriba.  Eran rojas y se movían un poco.  Tuve que apartar algunas con el pie.  Cuando le tuve entre mis manos, pude comprobar que sus hojas estaban vacías, las cucarachas se habían comido las letras.  En verdad no estaban muertas, sino vivas, con la barriga llena de tinta, habían desglosado las ideas, los conceptos, las frases y deglutido todo, ahora, no conseguían sobreponerse ante tantas ideas desordenadas, fluyendo en sus barrigas compactas.  No se podían mover de tanta letra comida. 

Muchas gracias y como siempre, a disposición,

Segundo Villanueva