O aluno já não é mais o mesmo

O bom professor sente que o aluno faz perguntas que considera pouco práticas ou que nunca, ou raramente parou para pensar porque certamente não tem muita vinculação prática; começa responder de maneira certamente ríspida ou com pouca paciência; ao longo do tempo tudo foi bem porque o nível de interação e vinculações externas com assuntos vários fizeram uma aula completa, com sentido, mas agora revela-se como um outro perfil de aluno, focado no livro, nos exercícios, em saber as regras de tudo ou quase tudo;  provavelmente o aluno está insatisfeito com você, está na hora de conversar com ele, de fazer uma reflexão para mudar radicalmente o foco da aula ou inclusive até de alocar outro professor no seu lugar.

Segundo Villanueva, São Paulo

One thought on “O aluno já não é mais o mesmo”

  1. Quizás…no sé…tal vez. De todas formas, y hablo por mi experiencia, más que un cambio en el alumno, yo creo que es el desenlace de algo anunciado, de algo que ya estaba cantado.
    Por suerte muy pocas veces, pero algunas pasa, las clases transcurren higienicamente, planas, sin problemas pero con cierta frialdad, con falta de emoción. Los profesores ponemos en práctica toda nuestra experiencia y hasta casi, diría yo, un exceso de servilismo para intentar complacer a un alumno que notamos rígido.
    Al final acaba por reventar la falta de conexión.
    No deja de ser una relación entre personas humanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*